Monthly Archives: Novembro 2006

Somos

uma parte do que foi

das_origens.JPG

outra do que julgamos ser

caseiricesinterioridades, intimidades e proximidades

recentices, antiguidades, nautiquices e mundanices

bloguices, conversices, irritadices e impulsividades

bonequices e ices dos outros

e d’alguns restos do que esteve para ser

Anúncios

Um buraco negro no chão de um blog não será nunca um post (a ser algo seria um anti-post)

 

plufff.JPG

 

e pronto!
acho que com tanta escusa e hesitação não terei desiludido ninguém
… vou mais em paz

 

Adenda (um furinho no buraco por assim dizer): obrigado Madalena


Olha mais uma árvore de natal! Ena, e esta está carregadinha

(tenham juízo! nunca a (feliz) circunstância de aqui deixar umas breves palavras de agradecimento pode ser qualificada como um post)

Na senda ainda dos néons hollywoodescos que por aí vão tremeluzindo a propósito dos prémios para o blog-isto-e-blog-aquilo-e-toma-lá-mais-um-link, e porque apesar de todos os impropérios que lanço a estas iniciativas de mera transacção de popularidade, e porque … não deixo de me sentir tocado, até estarrecido, de me ver alvo da preferência de alguém, e porque como todos sabemos (e também todos sabemos que não devia ser assim, mas é), a grandeza dos elogios que recebemos provém da admiração que temos pelas pessoas que nos elogiam, e porque apesar do meu irascível mau-feitio que fica ainda mais descompensado sempre que se vê rodeado de tantos pechisbeques de html ainda me resta este fundo de delicadeza (obra épica dos meus progenitores), aqui continuarei para deixar os devidos agradecimentos a mais três nomeações, que aqui junto por mera facilidade de associação:

Queria ainda aproveitar para salientar e exaltar a objectividade com que a Catarina encontra as suas escolhas, apenas lamentando a falha e estranhando as razões, que certamente lhe serão alheias, que levaram a que este blog não tivesse também sido citado nas restantes categorias, designadamente a de melhor blog feminino, a de melhor blog temático e a de melhor blog colectivo.


(e desde quando é que há post’s sem títulos, ein?)

Apenas para agradecer à Cristina, publicamente, a simpatia e o exagero de me ter nomeado para esta coisa dos blogoprémios.

… e manifestar a minha imensa surpresa pelo facto de alguém  se ter lembrado deste abandalhado blog que vive no limbo dos mortos-vivos vai para meses.

(E aproveito ainda para redobrar os meus agradecimentos pelo facto de ter sido nomeado na categoria de blog masculino neste momento em que difamantes juízos alheios põem em causa a virilidade deste blog. )


Então, então!? Isto é mero anúncio, eco do aí por fora. Não vão agora dizer que isto tb pode ser considerado um post pois não?

Só para informar que hoje parece que é o “dia não do fumador”*. Naturalmente, quero manifestar a minha solidaridade para com todos os FA, especialmente nesta fase em que a mesma sociedade que os incentivou a fumar agora (n)os persegue com desproporcionado vigor. Acabem de vez com o direito de fumar, mas por favor, estas morais vitorianas, o ostracismo social, isso não!

* Não, não há engano. Lapso haveria se este fosse o dia de não-qualquer-coisa uma vez que, por natureza, àqueles que não são, não se lhes pode dedicar o que quer que seja. Assim sendo, sou levado a interpretar este dia como mais um acto de perseguição insinuosa, a somar a tantos outros nesta “guerra”, que até seria uma campanha bonita se não ignorasse que do outro lado também estão cidadãos.

Destes dias e da minha experiência pessoal mais recente já hierarquizei numa escala de valores três mensagens que gostaria de passar aos meus filhos:

1º – que não fumem, mais não seja para não terem de ouvir do médico com a calculadora em punho, como comigo aconteceu, um “ena, vc já fumou um Aston Martin” (custa muito menos ignorar o que não se vê mesmo que isso possa ser a obliteração dos nossos dias de saúde do que a evidência e a materialização do que se perdeu … e logo um Aston Martin)

2º – mantenham-se nos caminhos da tolerância e da sobriedade. Mas mesmo que não os sigam, pelo menos, quando virem uma turba tresmalhada de pessoas em número razoável e organizadas o suficiente para poderem seguir todas em determinada direcção, que passem depressa para o outro lado do passeio. Ou pelo menos, que lhes deitem a língua de fora. (o unanimismo é um estado negativo da inteligência, crime até, quando dele advêm acções persecutórias)

3º – nunca criem um blog. A blogosfera está animada de pessoas que fumam enquanto escrevem e que se associam sempre em bloco para dizer mal de qualquer coisa. E na blogosfera não há passeios para onde fugir. Enfim, talvez seja um pouco exagerada esta última recomendação. Mas pronto, se tiverem um blog pelo menos que evitem por alturas do natal começar a distribuir prémios e hiperlinks por toda a gente. Isso é que não.


Isto não é um post, é uma msg privada (portanto também não conta)

Olha, sobre estas tuas fraquezas *, sugiro-te que vás ler o fim do comentário do post (que, note-se, nem chega a ser post) aqui debaixo. É como digo: vacilas.

* e ainda por cima como blog masculino? mas então este não era um blog a dar para o amaricado?


na, na, na … este também não vale *

Não tinha nenhum sentido

que um blog que sempre se manteve umbilical alheio aos egos da blogosfera que não o do seu autor, que nunca bojardou serviu de palco às fisgadas de fel que tantas vezes se avistam a cruzar o hiperespaço da blogosfera com destinos cinicamente determinados,

fosse agora, na hora da despedida, ceder à publicação de um post jocoso sobre o que outros proferiram (mesmo se o que os outros proferissem fosse uma inacreditável e hilariante afirmação do género “eu que praticamente criei a blogosfera“).

Não, claro que não tem de ser assim. Fiquemos mesmo por aqui, neste sossegado sepulcro, e deixemos essas lides para quem fica por aí a (hiper)estrebuchar.

* Ah, e este não conta como post, como é evidente. Apenas aqui está porque pretende justificar a retirada de um post que aqui tinha acabado de ser publicado, post esse que também não era um post uma vez que se tratava de um anexo contendo exemplo figurativo ao post adenda (e que por isso também não contava como post) do post que anuncia o fim do blog, esse sim, o último post, como aliás deve ser.


%d bloggers like this: