Monthly Archives: Dezembro 2011

porque o desejo só habita no que ainda está para vir,

nesse futuro que será sempre o lugar onde nos poderemos surpreender,

nada do que se deseja poderá ser por isso mentira ou impossível.

 

E por isso desejo-vos um ano de 2012 pleno de oportunidades de trabalho,

prenhe de mistérios

e de sótãos para reconstruir


natais e coisas que passaram

Este ano foi duro e áspero. Morreu-me mais um dos amigos de dentro, desses que são tanto de nós que não têm quem os substitua. E vai mais um caramba, e já são tantos. E  dei-me em magoar muita gente, não gente qualquer, mas justamente dos que quero mais próximos. E o físico, esse encarquilhou-se-me, prematuramente. Neste balanço são até secundárias as maleitas que agora partilho com o resto d0s portugueses e que tão bem senti na pele e no ordenado, porque nestas alturas em que vamos a contas sempre achei que as questões materiais serão as menos importantes.

Mas no meio disto tudo dou-me a concluir que foi um ano importante na minha vida. Que seja por isso, que pior que fazer mal é nada fazer e não sentir é nem ser.

Venha de lá esse natal, com os meus votos de aconchego para todos!


%d bloggers like this: